jusbrasil.com.br
13 de Outubro de 2019
    Adicione tópicos

    Suspeita de troca de bebês gera exame de DNA

    O juiz Cícero Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública, acatou o pedido de um mãe para exame de DNA em um filho declarado morto no dia do nascimento. A genitora requereu a realização de coleta de sangue, após o Itep haver negado a solicitação para o procedimento. Ela suspeita de troca de bebês. A criança nasceu no hospital Santa Catarina, Zona Norte de Natal, às 00:45 h do dia dois de dezembro de 2012.O exame foi realizado e o magistrado aguarda o laudo para providências cabíveis.

    A Ação Cautelar de Produção Antecipada de Provas proposta pela autora deixa clara a suspeita de tráfico de recém-nascidos. Ela alega que logo após o nascimento, um bebê de cor negra lhe foi apresentado, tendo inclusive a equipe médica emitido a declaração de nascido vivo. No final da tarde, após insistentes perguntas sobre a criança, ela foi informada que havia falecido, destacou o juiz na decisão, ao relatar os argumentos da genitora.

    A genitora afirmou que após declarada a morte do bebê teve que levá-lo para a sua casa, para guardar na geladeira até a hora do sepultamento. Ela percebeu, neste ínterim, que a criança que lhe foi entregue não era o filho que havia visto anteriormente. Segundo o relato, ao entregar o corpo ao Itep e solicitar o exame de DNA foi informada que teria que aguardar cerca de seis meses para a realização do mesmo.

    O juiz Cícero Macedo determinou a realização da coleta de sangue no corpo da criança que se encontra no Itep por profissional do laboratório DNA Center ou outro e que seja fotografado o corpo da criança, pesado e registrado em laudo suas principais características, o que deverá ser feito pelos peritos do órgão de criminalística, com acompanhamento de peritos que a genitora indicar.

    De acordo com o magistrado, em se confirmando, pelo exame de DNA, que a criança é filha biológica da autora está autorizada a realização do sepultamento da mesma, a cargo de sua família.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)